A questão do género nos GIME

Publié le par gimestp.over-blog.com

web GIME 19 005De 1700 pessoas engajadas nas actividades dos GIME cerca de 40% são mulheres, correspondendo aproximadamente a 700, nos dias de hoje.

 

O envolvimento das mulheres é uma das prioridades do projecto. É o segmento populacional mais vulnerável em São Tomé e Príncipe. A taxa de desemprego entre as mulheres é duas vezes superior em comparação com os homens, 21,1% e 9,5%, respectivamente.

 

Uma grande parte delas é chefe de família. Toda a responsabilidade com a sobrevivência e a educação dos filhos recai sobre os seus ombros, porque regra geral o progenitor está ausente.

 

Em todo este contexto, a pobreza em São Tomé e Príncipe tem igualmente rosto feminino.

 

O rendimento face às responsabilidades com a família tem sido um dos critérios para o recrutamento dos “gimistas”.

 

Desde o surgimento dos GIME, o número de mulheres tem vindo a aumentar. Em contrapartida, não são muitas que ocupam cargos de responsabilidade nas estruturas dos Grupos de Interesse para a Manutenção das Estradas. De acordo com os dados estatísticos, 29,4% são chefes de brigada, 70 de 238 e antes da última remodelação dos GIME apenas duas ocupavam a função de gestoras.

 

Uma delas é Cosma Afonso, GIME 32, Associação Januário Graça, no Príncipe. Em declarações ao programa “As Nossas Estradas”, Cosma Afonso disse sentir –se “muito satisfeita” por ser uma das poucas gestoras.

 

Acrescentou que a aprendizagem foi “muito útil”, desde os aspectos relacionados com a reabilitação da estrada até a elaboração de projectos “ que não sejam de grande envergadura”.

 

Cosma Afonso garante que não tem tido conflitos com os colegas, porque é uma igual entre eles.

 

Irene, chefe de brigada do GIME 30, Associação Seguro Rodoviário com sede na empresa agrícola Porto Real, Príncipe; também considera que a actividade do GIME é importante. Mas para ela, nem sempre a tarefa é facilitada, por ser “jovem e mulher”. Às vezes surgem algumas situações conflituosas com cantoneiros, mas com a ajuda do gestor tem conseguido ultrapassá-las.

 

Na ronda por vários GIME feita pela reportagem do programa “As Nossas Estradas”, regra geral os diversos gestores manifestaram a sua satisfação com a actividade desempenhada pelas mulheres. Alguns consideram-nas mesmo mais “eficientes e cuidadosas” na realização das tarefas que lhes são distribuídas.

Commenter cet article